kaka line

Maria da Penha: Aline Barreto, Personalidade no fisiculturismo revela que era agredida por ex-marido




Aline Barreto, 31 anos, resolveu tornar público as agressões vividas sofridas por ela pelo personal trainer físico Carlos Henrique dos Santos, conhecido como Kaká, durante os seis anos que ficaram juntos. De 2010 a 2016, a atleta e modelo fitness diz que foi permanentemente ameaçada e agredida verbalmente. Em 2012, após uma briga, ela relata que levou murros no rosto dados pelo ex, que quebrou a mão direita ao agredi-la. Pressionada pelos fãs do casal nas redes sociais, que torciam para que os dois se acertassem, Aline resolveu romper o silêncio no Snapchat, onde contou parte do que aconteceu e porque não queria mais voltar com Kaká.

Em 2012, aos dois anos de namoro, Aline diz que Kaká a convenceu a deixar Búzios, onde ela morava e trabalhava como cabeleireira em um salão de beleza da família e como promoter de eventos, para morar com ele em Rio das Ostras. Segundo ela, as agressões ficaram mais frequentes e maiores. “Ele gostava muito de controlar tudo, queria saber quanto eu recebia por trabalho, o que eu fazia com o dinheiro, queria saber se meu ex-marido me dava pensão e sempre preocupado com o que eu estava gastando. Depois das brigas ele pedia desculpas, começava a chorar e eu acabava perdoando.”

Aline, que tinha se mudado de cidade para morar com o ex e já tinha acertado um emprego em Rio das Ostras, diz que foi impedida de assumir o cargo. “Eu não tinha renda, então fiquei dependente dele. Aí ele jogava tudo na minha cara, dizia que eu tinha um marido maravilhoso… Ele me fez de dona de casa e eu não tinha agilidade para fazer, ele reclamava de tudo, começava a me humilhar, me pisar”, relembra ela, que levou junto o filho Robert, 12 anos, fruto de um relacionamento anterior. Logo ela perderia a guarda do menino, depois que, de acordo com Aline, Kaká bateu no menino de cinta.

De acordo com a modelo fitness, as brigas e gritaria eram tão frequentes na casa de Aline que ela diz a polícia sempre era chamada pelos vizinhos. Até o dia em que, numa discussão, Aline diz que foi trancada na varanda de casa pelo agora ex. “Ele começou a ficar nervoso, a derrubar as coisas e me trancou do lado de fora da varanda. Dei um chute e arrombei a porta da sacada, derrubando-a. Aí ele veio para cima de mim, começou a me segurar pelos cabelos e começou a me dar socos no rosto. Ele quebrou a mão direita me batendo. Consegui escapar, desci, fui para a rua. Os vizinhos já tinham chamado a polícia. Como eu estava machucada, me levaram para a delegacia e ele foi também. Prestamos depoimentos e ele disse que eu tinha agredido ele. Eu tinha dado cabeçada na mão dele, né? Só se for assim”, relembra ela, com ironia. “Fiz a ocorrência e ele também. No outro dia fizemos o exame de corpo de delito. Ele pagou fiança e foi liberado para responder o processo em liberdade.”

Aline e Kaká não se separaram. “Quando ele viu que tinha me machucado ele começou a pedir desculpas e chorar, aí dizia que me amava, dizia que eu tinha de obedecê-lo. Sempre que a gente brigava a culpa era minha no final das contas. Aí ele pediu que eu retirasse a queixa, dizia que me amava, começava a fazer declarações. Não retirei a queixa, disse que era a garantia de que aquilo não voltaria a acontecer. Ele teve de ir ao Fórum depois de quase um ano e pagou mais um valor e ficou por isso mesmo, só disseram que ele não poderia cometer nenhum outro crime, nem mesmo de trânsito, nem me agredir de novo.”

Segundo diz Aline, as agressões continuaram. “Voltamos e ele ficou bem um tempo, mas depois começou a me agredir de novo. Ele não me machucou mais, mas as agressões verbais continuaram. Ele ameaçava jogar o prato na minha cara, eu respondia, aí ela falava ‘Relaxa, não vou encostar em você.’ Ele achava que como eu tinha perdoado uma coisa mais séria, deixaria fácil passar essas coisas. Eu era agredida, ele me diminuía, queria fazer eu acreditar que eu era pior do que era, dizia que eu estava horrorosa, cheia de estria, que parecia que um tigre tinha em arranhado. E sempre falava comigo aos gritos, não tinha ‘por favor'”,

Segundo Aline, Kaká começou a interferir nos contratos de trabalho dela. “Ele começou a exigir que meus contratantes o contratassem também, e nem sempre isso era possível. Ele também não aceitava ganhar menos do que eu. Isso começou a me prejudicar no trabalho. Eu não podia ter opinião”, relembra.

“Fui juntando tudo e chegou um momento que falei pra ele que não dava mais. Isso foi em novembro do ano passado. Ele não aceitou a separação, pediu para eu ficar mais um mês em casa que ele ia me provar que tinha mudado. Ele tentou, mas parecia forçado. Ele lavava louça e me chamava para ver que estava lavando, começou a fazer mil planos de viagem para me convencer a mudar. Mas eu estava irredutível, eu sabia que não seria o melhor para mim.” Aline conta que passou, então, a levar suas coisas aos poucos para a casa de parentes para tentar sair de casa sem fazer alarde. “Por fim fui para a casa de uma tia. Mas Kaká não aceitava o término do relacionamento.Fiquei como a vilã que abandonou o marido apaixonado, porque ele postava snaps sofrendo e fazia declarações apaixonadas e os seguidores apoiando, ele ficava lendo os comentários e dizia para mim que a maioria apoiava a gente a voltar. Eu me sentia sufocada pela pressão que me colocavam. Eu avisei várias vezes que não queria que ele me expusesse mais. É por isso que resolvi contar a minha história. Eu estou me sentindo melhor, quero que as pessoas saibam a minha versão da história. Não terminei por besteira, quis que as pessoas soubesse que os motivos são sérios e agora sinto apoio de 95% das pessoas. Se ele tiver mudado, que bom, aí a próxima pessoa que ele encontrar não vai passar pelo que eu passei.”

Aline ainda guarda alguns áudios que Kaká enviou a ela . Neles, ele admite as agressões. “Queria deixar gravado aqui e quero pedir perdão. Te peço perdão de joelhos pela primeira briga, pela agressão que teve, pela falta de motivação que teve, perdão pela falta de compreensão que teve, perdão pela falta de carinho que teve, te peço perdão pelos erros. (…) Eu me arrependo amargamente de todos meus erros. Isso nunca vai voltar a acontecer. Isso não era para acontecer”, diz ele aos prantos. “Eu choro porque eu que expulsei você aos poucos e estou inconformado com isso. Mas esse choro não é de desespero, loucura, é um choro sincero. (…) Eu expulsei você, infelizmente.”

Aline, agora, diz que tem recebido apoio e também tem apoiado mulheres que passaram pela mesma situação. “Eu tenho recebido inúmeras mensagens de mulheres que estão passando pela mesma situação que eu, que não têm coragem de denunciar, que se espelham na minha coragem. Acabei dando força a muitas mulheres e elas me dão força também e sei que tomei a decisão certa. O que não mata nos faz mais fortes. Espero que o que eu passei nenhuma outra mulher passe neste mundo.”

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex - Foto: Divulgação

Aline Barreto e seu ex – Foto: Divulgação




No Comments

Leave a Comment