yy

Médico da “Índia Fitness” Yasmin Castrillon explica como funciona a dieta low carb




A modelo Yasmin Castrillon, que é considerada a verdadeira “Índia Fitness” por ter nascido em Manaus e ser bisneta de uma índia da tribo Parintintins, explica que está apostando na dieta low carb para manter o corpo sequinho e volumoso ao mesmo tempo.
“Esta dieta low carb é para manter meu corpo que tem 95cm de busto, 70cm de cintura e 100cm de glúteo. A prática do AEJ (aeróbico em jejum) de segunda-feira a sábado me ajuda muito mais na retenção. Quero me manter mais sequinha, só que com densidade e volume”, afirma a morena que tem 1,70 m de altura.
A modelo fitness que atualmente mora em João Pessoa, capital da Paraíba, segue à risca as orientações do Dr. Erickson Moura, médico do esporte, que explica as variações da dieta low carb.
“Existem inúmeras variações da dieta low carb, com diferentes restrições à quantidade e ao tipo de carboidratos permitidos durante o programa. O que todas elas têm em comum é que o principal nutriente da alimentação deve ser a proteína obtida de fontes como carnes, ovos e laticínios, seguida de gorduras boas para a saúde”, explica o profissional que tem consultório na capital paraibana.
De acordo com ele, para fazer a dieta low carb não basta apenas aumentar o consumo de proteína e cortar os carboidratos. “Além de não emagrecer, a dieta feita de maneira errada pode até colocar a saúde em risco. O principal objetivo da dieta low carb é obrigar o corpo a utilizar gordura como sua principal fonte de energia na forma de corpos cetônicos que irão substituir a glicose obtida através dos carboidratos.
 Quando isso ocorre, o corpo está em cetose, que pode ser definida como um estado metabólico onde o corpo não mais obtém energia a partir da glicose. O resultado é uma mobilização das reservas de gordura do organismo, igual à queima de gordura, que agora passa a ser utilizadas como combustível para o metabolismo”.
Segundo estudos, a dieta low carb sacia mais, emagrece mais, baixa o nível de triglicerídeos do sangue, melhora os níveis do HDL (o colesterol “bom”), reduz os níveis de glicose e insulina do sangue, além de reduzir a pressão alta. Até mesmo para combater a síndrome metabólica, que está ligada ao risco de doenças cardíacas e diabetes, a dieta low carb pode funcionar.
“Obviamente que antes de fazer qualquer tipo de dieta a pessoa precisa procurar a orientação de um profissional pois cada organismo reage de maneiras diferentes a exercícios e mudanças na alimentação. Também digo que é preciso determinação para fazer a dieta low carb pois não é fácil abdicar de alimentos que estamos acostumados a comer”, pontua Yasmin Castrillon, mãe de dois filhos.
Foto: Kadu Martins / MF Assessoria

Foto: Kadu Martins / MF Assessoria

Foto: Kadu Martins / MF Assessoria

Foto: Kadu Martins / MF Assessoria




No Comments

Leave a Comment