qq

Missaka, a “Japa do Funk”, lança clipe da música “Musa”




A cantora Missaka, conhecida como a “Japa do Funk”, lança o clipe da música “Musa”
“A letra de Musa foi inspirada no feminismo, no direito da mulher se vestir como quer, agir como quiser e ser respeitada por isso. Não é porque uma mulher abusa num decote que ela tem que ser desrespeitada. Passamos horas nos maquiando, nos vestindo, nos montando e nos torturamos em cima do salto simplesmente porque aprendemos a gostar disso e pelo simples fato de ser mulher”, exalta Missaka.
Ela conta como foi a escolha do DJ Detonna como produtor. “Escolhi porque sei que ele tem a pegada que quero do funk eletrônico com pitadas de house music e claro pelo know how que ele tem. Ele já produziu MC Sapão, Sandra de Sá, Marcinho, Naldo, Duduzinho, entre outros, e eu o admiro muito. Me espantei com tamanha rapidez e competência do Detonna porque ele sabe o que faz. E quando a música é boa ela sai num instante”.
“Quero passar na música o respeito às mulheres. Me sensibilizei bastante com o caso da menina que saiu de um baile funk e foi estuprada por um bando de ogros sem humanidade. E também respeito aqueles que se sentem mulher. Eu juntamente com o diretor Rafael Almeida desenvolvemos o tema Musa e decidimos fazer no clipe como se fosse um concurso de Miss com misses que são Musas Drags do cenário carioca. Tive a sorte e o privilégio de ter no meu clipe a participação de Greicy Dark, que já ganhou um concurso de Miss na vida real, Erika  Vogue, Sasha Vegas e Fabiany Carraro. Admiro demais e elas arrasaram no clipe. Glamour geral, roubaram a cena!”, completa a “Japa do Funk”.
Missaka explica como investiu na produção do clipe: “O gasto é relativo (risos). Gastei muito sim porque tudo sai do meu bolso e do meu suor de cada dia. Economizo cada centavo para poder realizar meu sonho. Fazer clipes e produção não é nada fácil. Sobrou um dinheirinho do mês vou lá e poupo. Para gravar ou para fazer uma música nova ou para guardar para o próximo clipe. Tudo o que faço ou fiz foi com o máximo que posso e com amor e carinho. É um clipe simples, mas o foco são as musas brasileiras”.
Ela também detalha como consegue fazer clipes e tocar a carreira sem ter um empresário. “Com muita oração, suor e determinação. Não faço sozinha, preciso dos amigos, dos que acreditam e dos meus pais. Toda vez que encontro dificuldade ligo para ‘Mamis’ e ela me fala ‘gambarê’, que significa perseverança em japonês (risos). Preciso de empresário sim, mas enquanto não aparece um, vou caminhando contra o vento sem lenço mas com documento (risos)”.
“Resolver tudo sozinha é um difícil prazeroso. Nem tudo consigo resolver e confesso que me faltam parceiros, mas estou a procura. Enquanto isso não vem peço a Deus força e energia para que consiga dar conta do recado. Sonho é sonho, depende do tamanho do seu (risos). Deixei de lado minha cidade, conforto, família e relacionamentos para morar em São Paulo atrás dessa realização. Então sozinha ou não eu chego lá! Amém!”, acrescenta a “Japa do Funk”.
Missaka destaca ainda a força de vontade do povo japonês: “Ainda acho que devo ser mais e mais trabalhadora. Meus pais Batian e Ditchan são meus exemplos. Pela história da minha família, o perrengue que eles passaram quando chegaram no Brasil, a minha história é fichinha. Só tenho que agradecer mais uma vez as pessoas que acreditaram e me ajudaram. Todos super entendem minha jornada e o que acho mais legal nisso é que vou conquistando amigos e parceiros. Obrigada ao diretor Rafael Almeida e equipe, e ao DJ Detonna pela credibilidade. Já estou pensando no próximo clipe (risos). Bora criar, expressar e se divertir!”.
O clipe já está no Youtube:




No Comments

Leave a Comment